FC Porto continua a não saber ganhar na Taça da Liga

25 de Outubro de 2017 | por Público
FC Porto continua a não saber ganhar na Taça da Liga

Mais de mil dias depois, o FC Porto continua sem conseguir ganhar na Taça da Liga. Na estreia na prova nesta temporada, os “dragões” apresentaram-se no Estádio do Dragão sem alguns habituais titulares, mas perante um competente e organizado Leixões, a equipa comandada por Sérgio Conceição não passou do zero e já não vence na prova desde Janeiro de 2015. Com a igualdade sem golos, a equipa da II Liga passa a somar quatro pontos no Grupo D da prova e fica em posição privilegiada para discutir um lugar nas meias-finais da Taça da Liga.

Com dois jogos de grau de dificuldades previsivelmente elevados nos próximos sete dias – Boavista e RB Leipzig -, Sérgio Conceição geriu a equipa “azul e branca”. Com apenas 19 jogadores de campo no plantel principal, o técnico promoveu a estreia a titular do jovem avançado Galeno e, em sentido contrário, Marcano e Brahimi ficaram pela primeira vez nesta temporada no banco. As mudanças, no entanto, não se ficaram por aqui. Telles, Corona, Marega, Ricardo, Danilo e Herrera também não surgiram nas opções iniciais, mas na baliza repetiu-se o filme dos últimos quatro jogos: mesmo na Taça da Liga, Casillas não foi opção e Sá manteve-se como titular.

Do outro lado, o Leixões não facilitou. Com nove vitórias em onze jogos desde que João Henriques trocou o papel de adjunto por principal, os matosinhenses surgiram com as suas melhores armas e deixaram uma excelente imagem.

Perante um Leixões organizado e competente, o FC Porto na primeira parte pouco incomodou André Ferreira e apenas assustou os matosinhenses num par de ocasiões. Após o descanso, Galeno criou as primeiras oportunidades (49´e 51’), mas perante o desacerto da sua equipa - Aboubakar esteve muito apagado -, Conceição foi obrigado a lançar na última meia hora Corona, Marega e Brahimi.

Com a equipa portista perto da máxima força, o Leixões foi obrigado a recuar e Reyes , aos 79’, falhou o alvo por muito pouco. Porém, seria da equipa de Matosinhos a melhor oportunidade até final: aos 82’, num contra-ataque com superioridade numérica do Leixões, Evandro Brandão foi egoísta e deixou fugir a hipótese de garantir os três pontos para a sua equipa.

deixe-nos o seu comentário
voltar
em destaque
últimos podcasts
Blê Blê Blê - 23 de Novembro de 2017
Universo Paralelo - 23 de Novembro de 2017
GPS - 23 de Novembro de 2017
Entrevistas - 23 de Novembro de 2017
Entrevistas - 23 de Novembro de 2017
os nossos ouvintes
powered by hojenet © Copyright Rádio Nova 2016 - Todos os direitos reservados