Racionamento de água é medida "no fim da linha"

21 de Novembro de 2017 | por Lusa
Racionamento de água é medida O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, admitiu hoje que o racionamento de água, devido à seca, é "uma hipótese teórica", mas não faz qualquer sentido pensar nessa medida agora, porque está "no fim da linha".
"As medidas de racionamento [de água] estão no fim do fim da linha e não faz nenhum sentido pensar nelas agora. Estamos a fazer tudo para que a água nunca falte, em conjunto com as autarquias, e o que é fundamental é as pessoas pouparem água", disse o ministro, em Évora.
Questionado pelos jornalistas sobre a entrevista do secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, publicada hoje no jornal i, em que admite o racionamento de água à noite, João Pedro Matos Fernandes disse tratar-se de uma "hipótese teórica".
O secretário de Estado, na entrevista, de acordo com o ministro, "admite a vaga possibilidade" desse racionamento de água, "durante algumas horas" por dia, em "algumas autarquias onde a água está mesmo quase, quase a faltar" e "em situações muito específicas".
A suspensão da água durante a noite é "uma hipótese teórica. Não é esse o nosso caminho", afirmou, esclarecendo também, caso a medida tenha de avançar, "não é o Governo que raciona".
"A decisão é sempre da autarquia" e trata-se de uma decisão sobre a qual o Governo tem "quase a certeza" de que não vai ser necessária, frisou o ministro, que falava aos jornalistas à margem da sessão de abertura da edição deste ano do Encontro Nacional de Entidades Gestoras de Água e Saneamento (ENEG), que hoje arrancou na cidade alentejana.
deixe-nos o seu comentário
voltar
em destaque
últimos podcasts
Entrevistas - 19 de Janeiro de 2018
GPS - 19 de Janeiro de 2018
Pré Visão - 19 de Janeiro de 2018
Universo Paralelo - 19 de Janeiro de 2018
Blê Blê Blê - 19 de Janeiro de 2018
os nossos ouvintes
powered by hojenet © Copyright Rádio Nova 2016 - Todos os direitos reservados