Globos de Ouro 2018: Del Toro e Big Little Lies partem à frente

11 de Dezembro de 2017 | via publico.pt
Globos de Ouro 2018: Del Toro e Big Little Lies partem à frente

Experiência e respeitabilidade caracterizam os responsáveis pelos nomeados para Melhor Filme na categoria dramática dos Globos de Ouro de 2018. Estão lá Spielberg, Nolan ou del Toro, e mesmo os menos sonantes Luca Guadagnino e Martin McDonagh, que nem sempre se podem referir só pelo apelido, estrearam-se nas longas metragens em 1999 e 2004, respectivamente. E são todos filmes que já têm vindo a ser falados nos últimos meses para prémios. Não há, portanto, grandes surpresas, nem aí nem na categoria dos dramas televisivos de prestígio, em que também foram escolhidos dramas bem cotados, badalados e, em alguns casos, actuais, como The Handmaid's TaleThis Is UsStranger ThingsThe CrownA Guerra dos Tronos

A cerimónia da 75.ª edição dos prémios atribuídos pela Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood, marcada para 7 de Janeiro, terá como anfitrião o cómico Seth Meyers, apresentador de Late Night with Seth Meyers. As nomeações foram anunciadas esta segunda-feira pelos actores Alfre Woodard, Sharon Stone, Garrett Hedlund e Kristen Bell. Será a primeira grande cerimónia de prémios de Hollywood desde que se abriram as comportas das denúncias de abusos sexuais no meio da televisão e do cinema, um fantasma que certamente pairará sobre toda a noite. As circunstâncias de o apresentador ser um homem e de só haver uma realizadora envolvida nas nomeações para melhor filme (Greta Gerwig, comLady Bird, na categoria de Comédia ou Musical) poderão lançar achegas para a fogueira da discussão sobre a igualdade de género.

Esse é um tema que é bastante mais importante para as nomeações televisivas do que para as do cinema. É tratado de forma particularmente pungente em The Handmaid's Tale, a adaptação do romance de Margaret Atwood que imagina um futuro distópico com uma intensa opressão do género feminino. Tem três nomeações. Big Little Lies, a série com Reese Witherspoon, Nicole Kidman, Shailene Woodley e Zoë Kravitz, é, com seis nomeações, a série candidata a mais prémios. Feud: Bette and Joan, que está nomeada para Melhor Telefilme ou série limitada, lida com o passado sexista de Hollywood e tem quatro nomeações: curiosamente, tanto Susan Sarandon como Jessica Lange, que encarnam, respectivamente, Bette Davis e Joan Crawford nesta série centrada no conflito entre as duas actrizes durante a produção e promoção de What Ever Happened to Baby Jane?, em 1962, foram nomeadas para o mesmo prémio. Nos Óscares que a série mostra, o filme só teve uma nomeação: Bette Davis, uma fonte de atrito.

Twin Peaks, o regresso da série que foi o filme do ano para a Cahiers du Cinéma, só tem uma nomeação, para o actor Kyle MacLachlan.

No campo do cinema, A Forma da Água, o mais recente filme do mexicano Guillermo del Toro, é o mais nomeado. São, ao todo, sete nomeações, incluindo Melhor Realizador, Melhor Filme Dramático, Melhor Argumento, Melhor Actriz num Drama, para Sally Hawkins. A obra só tem estreia marcada em Portugal a 8 de Fevereiro. Dos outros colegas nas nomeações para Melhor Filme Dramático, só um, Dunkirk, de Christopher Nolan, é que já pôde ser visto comercialmente no nosso país. Os outros três chegam em Janeiro: Três Cartazes à Beira da Estrada, de Martin McDonagh a 11, Chama-me Pelo Teu Nome, de Luca Guadagnino, que passou na edição deste ano do LEFFEST, vai para as salas a 18, The Post, de Steven Spielberg, estreia-se a 25. 

Há uma tradição nos Globos de Ouro de nomear filmes estranhos em categorias aos quais não pertencem, especialmente na categoria de Comédia ou Musical, que acaba por englobar tudo o que não sejam dramas óbvios. Afinal, em 2011, O Turista, um famigerado filme de Florian Henckel von Donnersmarck com Johnny Depp e Angelina Jolie que foi quase universalmente vilipendiado e cujo tom não é intencionalmente cómico, foi nomeado nesses moldes. Ainda há dois anos, Perdido em Marte, um filme de ficção científica de Ridley Scott, ganhou o prémio máximo nessa categoria. Este ano, a tradição mantém-se: Foge, de Jordan Peele, está nomeado para Melhor Filme e para Melhor Actor (Daniel Kaluuya). É um filme que não cabe bem noutras categorias e inclui terror e humor, mas nem o próprio realizador o descreve como cómico, apesar de ter sido como actor cómico que Peele se tornou conhecido.

deixe-nos o seu comentário
voltar
em destaque
últimos podcasts
Entrevistas - 17 de Janeiro de 2018
GPS - 17 de Janeiro de 2018
Universo Paralelo - 17 de Janeiro de 2018
Blê Blê Blê - 17 de Janeiro de 2018
Pré Visão - 17 de Janeiro de 2018
os nossos ouvintes
powered by hojenet © Copyright Rádio Nova 2016 - Todos os direitos reservados