Cerco do Porto com nova unidade de saúde

20 de Dezembro de 2017 | por Lusa
Cerco do Porto com nova unidade de saúde A Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) adiantou hoje que a nova Unidade de Saúde do Cerco, que vai servir cerca de 14 mil utentes da zona oriental do Porto, deve ficar concluída no final de 2018.
Em comunicado, a ARS-N explica estar em causa um investimento calculado de 1,5 milhões de euros para remodelar "parte das instalações abandonadas da antiga Escola do Básica e Secundária do Cerco" e para a dotar do equipamento necessário.
De acordo com o projeto aprovado, que vai ser financiado em 85% por fundos comunitários e que tem a "conclusão da obra prevista para final de 2018", as futuras instalações vão acolher a atual Unidade de Saúde Familiar (USF) "Novo Sentido", que funciona num espaço "exíguo e desadequado".
A ARS-N revela que a futura Unidade de Saúde do Cerco vai incluir dois módulos: um de Cuidados na Comunidade (com três gabinetes médicos, um polivalente e um de enfermagem) e outro de Saúde Familiar (nove gabinetes médicos, três de enfermagem, duas salas de tratamento, dois gabinetes de vacinas e injetáveis e quatro gabinetes de saúde maternoinfantil).
Segundo a ARS-N, a USF "Novo Sentido" funciona "até agora em instalações exíguas e de acessibilidade desadequadas ao fim a que se destinam, nomeadamente no que respeita a pessoas de mobilidade reduzida ou portadoras de deficiência motora permanente".
Com a empreitada lançada na terça-feira através da publicação em Diário da República, e cujo prazo de execução é de 270 dias, esta USF "vai poder, a breve prazo, ser transferida para as novas instalações".
A ARSN assinala que tal se deve ao "compromisso financeiro assumido pelo Governo em Diário da República", resultante de um protocolo "outrora celebrado com a Câmara do Porto".
Este acordo tinha entre os "principais objetivos" dotar a população e os profissionais "com um equipamento moderno, humanizado e devidamente equipado", que pudesse também "responder às reais necessidades".
Em causa está a população servida pela USF "Novo Sentido" e a antiga Extensão de Saúde do Ilhéu, o equivalente a "14.000 utentes, aproximadamente".
Outra das intenções do protocolo era "transformar parte das instalações abandonadas da antiga Escola do Cerco e contribuir para a qualificação da zona oriental da cidade".
"Desta forma dar-se-á mais um passo para a concretização da Carta de Equipamentos de Saúde da cidade do Porto e para a melhoria da prestação de cuidados, numa cidade onde quase todos os inscritos têm a sua Equipa de Saúde familiar", assinala a ARS-N.
deixe-nos o seu comentário
voltar
em destaque
últimos podcasts
Entrevistas - 19 de Janeiro de 2018
GPS - 19 de Janeiro de 2018
Pré Visão - 19 de Janeiro de 2018
Universo Paralelo - 19 de Janeiro de 2018
Blê Blê Blê - 19 de Janeiro de 2018
os nossos ouvintes
powered by hojenet © Copyright Rádio Nova 2016 - Todos os direitos reservados